A Comissão de Educação, Assistência Social e Direitos Humanos (CEADH) da Câmara Municipal de Petrópolis realizou sua segunda reunião na tarde desta quarta (10), com o objetivo de discutir um plano de trabalho para os próximos meses. No encontro, ficou definido também a realização de uma audiência pública no início de março, para debater a volta do calendário escolar com o ensino remoto e as carências apresentadas, além da convocação do processo seletivo da educação.

"Temos recebido muitas denúncias de servidores, de trabalhadores por RPA, assim como das próprias famílias dos alunos, que essa semana foram surpreendidos com o mesmo sistema que vinha sendo adotado no ano passado. Apesar de termos nos reunido com a Secretaria de Educação há quase três semanas, pedindo mudanças na plataforma que trouxessem melhorias, nada ainda foi cumprido", disse Yuri Moura (PSOL).

Ele explica que as principais demandas estão relacionadas à carga horária dos professores, a adoção de plataformas que melhorassem a interação com os alunos, entre outras. "Se não resolvermos o problema do ensino remoto, estaremos abrindo espaço para um diálogo covarde da volta antecipada do ensino presencial", completou.

O vereador destaca ainda que a Comissão criou um canal de comunicação com a comunidade escolar, para o recebimento de relatos de pais, alunos e professores, para que possam ser apuradas as situações relativas ao ensino remoto, facilitando assim a reunião das informações que já vem sendo apuradas pelos membros da comissão por meio dos gabinetes, pelas redes sociais e também pelo contato pessoal nas ruas.

Este canal servirá também para tirar as dúvidas daqueles que fizeram o processo seletivo da educação e não estando recebendo nenhum tipo de informação. O e-mail criado é o Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Além de Yuri Moura, que preside a CEADH, integram a Comissão os vereadores Gilda Beatriz (PSD), como vice-presidente e o vereador Domingos Protetor (PSC) como vogal.

Na reunião de hoje, ficou definido que a comissão vai funcionar com grupos de trabalho (GTs) envolvendo a sociedade civil. Foi aprovada a criação de um grupo sobre diversidade, a partir de encontro realizado com o grupo LGBTQIA+. A Comissão, dentro da sua atribuição de cuidar também dos temas relativos aos direitos humanos, poderá abraçar essas pautas, criando uma instância interna para que isso funcione e vire matéria legislativa.

Na reunião foi aprovada também a criação da logomarca da comissão, baseada na sigla CEADH, que será usada na divulgação dos trabalhos.