Instituído em 2014, por intermédio de um Projeto de Resolução da vereadora Gilda Beatriz (MDB), a 5ª edição do “Prêmio Dra. Zilda Arns” foi realizada na noite de terça-feira (12.03), no plenário do Palácio Amarelo. Quatorze mulheres que contribuíram com ações em prol da sociedade petropolitana foram premiadas com a honraria oferecida pelos parlamentares.

As premiadas da noite foram escolhidas por livre opção de cada vereador, que pode agraciar uma mulher por ano, sem a apreciação do plenário. O prêmio se integra às comemorações referentes ao Dia Internacional da Mulher.

O vereador Maurinho Branco, que presidiu a sessão solene, destacou a importância do prêmio, que exalta o cunho social e humanitário, que em sua maioria é entregue às mulheres que se destacam em atividades sem fins lucrativos.

“Muitas mulheres que aqui foram premiadas, tem como premissa ajudar ao próximo sem pensar em nenhum tipo de retorno. Em um mundo cada vez mais individualista, as lições aqui apresentadas são um afresco de que é possível vivermos com mais amor e compaixão pelo outro. É de suma importância que tais exemplos sejam reverenciados e destacados”, disse.

Para a vereadora Gilda Beatriz, autora do prêmio, era uma satisfação estarem todos reunidos para a entrega deste prêmio. “Sempre me lembro da Drª Zilda Arns, mulher de coragem e inspiradora de milhões de cidadãs brasileiras. Mesmo diante de tantas conquistas, as mulheres estão sempre lutando pelo seu espaço e seus direitos, além do respeito muitas vezes negado, pelos companheiros, empregadores, chefes, em suma, homens que ainda acreditam que somente eles podem ditar as regras nesse mundo. No mês da Mulher, temos que refletir e ver a importância desta data – 8 de março – como um catalizador para debates e ações contra os mais variados tipos de violência e descriminalizações contra as mulheres. A violência é a derradeira instância de opressão do homem contra a mulher. Temos que dar um basta nisso”, apontou.  

Uma das homenageadas, a coordenadora do Gabinete da Cidadania da prefeitura, Anna Maria Rattes, ressaltou que a entrega do prêmio, além da conotação festiva, deve também ter o caráter de profunda reflexão.

“Reflito que a igualdade de gênero, tão falada nos idos dos anos 70 e 80, ainda é uma realidade muito distante. Avanços foram conquistados e leis foram promulgadas. A Lei Maria da Penha é de conhecimento público. Várias ferramentas foram criadas em prol da mulher, mas somente este ano, foram cometidos 207 assassinatos de mulheres, 137 tentativas de feminicídio. Temos que assumir e lutar por fraternidade, paz, respeito entre os gêneros. Quero deixar registrado que todas as homenageadas desta noite representam as mulheres de fibra e de luta de nossa cidade, que transbordam coragem e não se intimidam com os obstáculos. A luta continua, a esperança e a vida também”, exaltou.

 A médica e sanitarista Zilda Arns Neumann, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, faleceu em janeiro de 2010, vítima do terremoto no Haiti. Por três vezes, Zilda Arns foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz pelo Brasil. Irmã de Dom Paulo Evaristo Arns, ela recebeu diversas menções especiais e títulos de cidadã honorária no país. Em 2012, Arns foi eleita a 17ª maior brasileira de todos os tempos.

Lista de premiadas:

Maria Bernadethe de Souza da Silva (Vereador Antônio Brito)

Anna Maria Martins Scorzelli Rattes (Vereador Fred Procópio)

Wanda Heloisa Rodrigues Ferreira (Vereadora Gilda Beatriz)

Cleusa Milone Rodrigues Ferreira (Vereador Hingo Hammes)

Andréa Maciel Pachá (Vereador Jamil Sabrá)

Liliane de Almeida Carmo Mello (vereador Jorge Relojão)

Susie Andries Nogueira (Vereador Justino do Raio X)

Dayane Sant’Anna Gomes Benevides Assunção (Vereador Marcelo da Silveira)

Érica da Silva Gomes Ferreira (Vereador Marcelo Lessa)

Creonilde Fernandes (Vereador Maurinho Branco)

Ana Cristina Moraes de Oliveira (Vereador Prof.Leandro Azevedo)

Wanda Lúcia Borsato da Silva (Vereador Ronaldo Ramos)

Maria Helena de Brito e Cunha Arrochellas Corrêa (Vereador Silmar Fortes)