Projeto de lei apresentado pelo vereador Hingo Hammes prevê inclusão do professor de Educação Física no programa

O Programa de Saúde da Família pode ganhar um importante reforço em Petrópolis: projeto de lei apresentado pelo vereador Hingo Hammes (PTB) inclui no trabalho desenvolvido nas unidades de saúde atividades oferecidas por profissionais de Educação Física. Eles atuarão em escolas municipais que servirão como polos para os moradores de comunidades onde existem os PSFs. A ideia é criar um calendário de atividades diárias (exceto em fins de semana e feriados), oferecendo aos pacientes a possibilidade de, por meio da prática de atividade física, melhorarem sua saúde e terem mais qualidade de vida.

Hingo Hammes lembra que ao ser criado, em 1994, o Programa de Saúde da Família tinha como objetivo oferecer um modelo de assistência à saúde à população mais carente, que não tinha acesso a planos de saúde privados. “O tempo passou e hoje o número de pessoas que não consegue arcar com os custos de planos de saúde privados só aumentou, o que exige um sistema de saúde público ainda mais eficaz, que trabalhe a saúde preventiva de forma integral”, lembra.

Para ele, o acompanhamento do profissional de Educação Física complementa o trabalho já desenvolvido nos 44 PSFs, com foco na saúde preventiva. “É necessário enxergar a saúde de forma mais ampla. É muito mais barato investir para que a população tenha uma vida melhor, com mais saúde, do que custear tratamentos de doenças. A Organização Mundial de Saúde estima que cada R$ 1 investido em prevenção, com prática de atividades físicas, gera, em curto prazo, economia aproximada de R$ 2,40 no sistema. São pessoas que deixam de precisar de atendimento por conta de complicações geralmente relacionadas a hipertensão, obesidade e doenças crônicas, por exemplo”.

Ao oferecer na própria rede de atenção básica profissionais para orientar a prática de exercícios físicos, o município complementa o sistema. “Nas unidades de saúde, a orientação em relação à importância da atividade física já existe. Tendo o professor de Educação Física na equipe o município dará um passo maior, não apenas pedindo que o paciente pratique exercícios, mas também oferecendo essas atividades. Tudo isso com supervisão de um profissional capacitado, capaz de entender a individualidade de cada paciente e orientá-lo de forma correta, minimizando os riscos de lesões e garantindo melhores resultados de acordo com cada objetivo”, frisa o vereador.