A Sala das Comissões da Câmara Municipal recebeu na última quarta-feira (19/12) a Mesa Redonda “Prevenção de Acidentes e Violência no Trânsito”, que deu continuidade à audiência pública realizada na Casa Legislativa no dia 26 de novembro.

A iniciativa do debate foi do vereador Silmar Fortes, presidente da Comissão em Defesa da Saúde, e tem como objetivo minimizar os impactos causados pelos acidentes de trânsito na saúde do município.

Dados de morbimortalidade dos Acidentes de Trânsito da Coordenação de Vigilância Epidemiológica apontam que, somente de janeiro a junho de 2018, foram registrados no município 456 acidentes. Deste total, 240 foram de motocicleta, seguidos por 134 com automóveis.

“O número de acidentes envolvendo motocicletas é uma das questões mais importantes de nosso debate, pois segundo os dados do Observatório Nacional de Segurança Viária, a motocicleta é o veículo que mais mata no país. Consequentemente é aquele que gera um número de vítimas com sequelas mais graves e permanentes, em especial na população de jovens e adultos de 15 a 39 anos. Além do alto índice de perda de vidas, ainda há o alto custo para a saúde do município”, ressaltou Silmar.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os acidentes de trânsito causam 1,3 milhão de mortes em 178 países, e estimativas mostram que cerca de 50 milhões de pessoas sofrem lesões graves, deixando-as temporária ou permanentemente incapacitadas. Ainda segundo a OMS, o trânsito é a segunda maior causa externa de morte entre os brasileiros.

Alessandra Carvalho, da equipe de projetos da Secretaria de Educação, falou sobre a promoção da educação no trânsito na rede municipal de ensino, realizada com alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental. “Temos na rede de ensino a disciplina História, Geografia, Turismo e Educação para o Trânsito (HGPT/EG) e sempre fazemos trabalhos para a Semana do Trânsito no mês de setembro”.

O superintendente Hospitalar de Urgência e Emergência, Dr. Cláudio Morgado, defendeu a educação como um caminho a médio e longo prazo para diminuir os índices de acidentes. “Precisamos mostrar um plano contundente em relação à educação no trânsito nas escolas, com participação do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e SAMU. Sabemos que a motocicleta é o ator principal nesses acidentes”.

Ao término do encontro, o vereador Silmar Fortes destacou os próximos passos a serem seguidos pelo grupo. “Vamos seguir com o trabalho e voltar a nos reunir no dia 6 de fevereiro, para construir um Plano Municipal de Redução de Acidentes e Violência no Trânsito, onde cada um terá a sua competência, o seu compromisso e a sua reponsabilidade. Há um consenso de que devemos trabalhar a prevenção de acidentes e a promoção da educação no trânsito, para que consigamos diminuir esses índices alarmantes”.

A mesa redonda contou também com a presença de Elizabeth Amorin (Cobea), Victor de Souza (diretor técnico HMNSE), Izaura Machado (CPTrans), Dr. Anderson Moraes (Procuradoria da Saúde), Edgar Oliveira (Guarda Civil), José Geraldo Rocha (dir. administrativo Secretaria de Saúde), Márcia Tânia Nascimento (coord. geral da Media Complexidade da Secretaria de Saúde), Alessandra Cardoso (coord. Vigilância Epidemiológica) Vinícius Pereira, Rodrigo Moreira (Banco de Sangue do Hospital Santa Teresa), Dr. Cláudio Lázaro, Dra. Juliana Osório (SAMU) e vereador Reinaldo Meirelles (PP).

Texto cedido pelo Gabinete do Vereador