Em parceria com o Grupo de Pacientes Artríticos de Petrópolis (Gruparj), a Câmara Municipal de Petrópolis, por iniciativa da vereadora Gilda Beatriz (MDB), promoveu na tarde desta quarta (10), uma palestra de conscientização sobre artrite reumatoide, que contou com a presença de quase uma centena de pessoas, entre médicos, pacientes e parentes de pessoas acometidas pela doença. O evento se deu em virtude do dia mundial de conscientização da doença, que será celebrado nesta sexta-feira, 12 de outubro.

A palestra foi conduzida pela presidente do grupo, a médica reumatologista Wanda Heloisa Ferreira, que cobrou muito sobre a falta de medicamentos para os pacientes reumáticos da rede pública municipal. Estiveram presentes também o reumatologista Francisco Salles, o vice-prefeito Baninho e Denise Kronemberger, representando a secretaria de saúde. Os vereadores Marcelo da Silveira e Luizinho Sorriso (PSB) também acompanharam o evento.

A vereadora Gilda Beatriz elogiou o papel do Gruparj na defesa dos pacientes reumáticos, e também teceu críticas à falta de infra-estrutura no atendimento dos pacientes. “É inaceitável convivermos hoje num município que conta com aproximadamente três mil pessoas acometidas por essa doença, e sofrer com limitações básicas como a carência de medicamentos para este tipo de tratamento. Trata-se de uma doença grave, que pode incapacitar a pessoa, e o poder público precisa direcionar esforços no atendimento deste público”, disse a vereadora.

A artrite reumatoide é uma doença autoimune crônica, em que o sistema imunológico ataca a membrana que recobre as articulações, causando rigidez, inchaço e dor. Pode levar a deformidades irreversíveis e incapacidade para determinados movimentos, além de causar manifestações como nodulações embaixo da pele e problemas cardiovasculares.

O Grupo de Pacientes Artríticos de Petrópolis (Gruparj) foi fundado em 14 de julho de 2001 com o apoio da Sociedade de Reumatologia do Rio de Janeiro, que no ano de 1998 realizou o 1º Fórum para Leigos sobre Reumatismo no Rio de Janeiro, ocasião em que os reumatologistas puderam observar a total falta de conhecimento e informação da população sobre as doenças reumáticas.